Página Inicial / Cidade / Com o aumento do ICMS votado pelos Deputados Estaduais, Minas tem a 3ª gasolina mais cara do Brasil

Com o aumento do ICMS votado pelos Deputados Estaduais, Minas tem a 3ª gasolina mais cara do Brasil

 

Os deputados estaduais mineiros aprovaram o aumento do ICMS que elevou a alíquota em 2%, ficando o preço do litro de gasolina comum em R$ 0,08 mais caro na bomba – o do etanol tem acréscimo de R$ 0,04. O litro dos conbustíveis é um dos mais caros do Brasil.

Levantamento da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) confirmou o que os motoristas mineiros já não têm mais dúvidas: Minas Gerais tem uma das gasolinas mais caras do país. Custando média de R$ 4,42, o estado ocupa a terceira posição, só perdendo para o Acre (R$ 4,71) e Rio de Janeiro (R$ 4,65). Em Sete Lagoas, o último levantamento apontou média de R$ 4,45 para a gasolina.

Os deputados mineiros votaram em 2º turno o projeto de lei 3.397/16 que previu, entre outros termos, um aumento de 2% na alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para combustíveis.

 

A aprovação da Lei pelos deputados mineiros fez a alíquota referente à gasolina subir de 29% para 31%. A do álcool aumentou de 14% para 16%. O projeto aprovado pelos deputados também teve aumento do ICMS de 18% para 25% referentes a operações de importação de mercadorias, bens integrantes de remessa postal e encomenda aérea internacional. Já o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de veículos de cabine dupla ou estendida passou de 3% para 4%.

O preço da gasolina é composto por diversos fatores, como impostos, transporte, custo dos postos e também o insumo básico, que é o refino do petróleo. Este último é padronizado pela Petrobras, bem diferente dos demais, sobretudo os impostos, que variam de estado para estado. E é justamente o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, o ICMS, que faz com que a gasolina em Minas e no Rio sejam tão caras.

E as notícias só pioram: desde ontem quinta-feira (1º), o consumidor mineiro já está pagando mais caro com mais um aumento no preço dos combustíveis. Isso porque o governo do Estado subiu o valor de referência em que incide o ICMS. Por consequência, o valor fixo do tributo recolhido por litro de combustível. Tendo os novos valores como base, o preço do litro de gasolina comum fica R$ 0,08 mais caro na bomba – o do etanol tem acréscimo de R$ 0,04.

De cada R$ 100 que o motorista abastecer de gasolina em seu veículo, R$ 31 são de ICMS em Minas.

 

Essa é a segunda vez que o preço do produto é alterado devido ao governo do Estado. No mês passado, a alíquota do ICMS sobre a gasolina aumentou de 29% para 31%; sobre o etanol, foi de 14% a 16%. Isso significa que a cada R$ 100 que o motorista abastece de gasolina em seu veículo, R$ 31 são de ICMS em Minas. Levando em consideração os demais tributos, o total pago pelo consumidor é R$ 47,50 – vale lembrar que tem o chamado efeito cascata nos tributos: quando um aumenta, aumenta também toda a cadeia.

Com o aumento na base de cálculo do Estado, os impostos incidentes nos combustíveis podem ultrapassar 50% do preço por litro em Minas, conforme os cálculos do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Minas Gerais

Sobre admin

Você pode Gostar de:

Espetáculo sete-lagoano estreia no Palácio das Artes, em BH

O espetáculo “As Alegres Comadres de Windsor”, comédia de William Shakespeare, da companhia sete-lagoana de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *