Página Inicial / Esporte / Demitida da Globo Minas, jornalista Carina Pereira revela ter sofrido assédio moral de chefe na emissora

Demitida da Globo Minas, jornalista Carina Pereira revela ter sofrido assédio moral de chefe na emissora

A ex-apresentadora do programa “Globo Esporte”, da Globo Minas, Carina Pereira, publicou um vídeo em uma rede social, na terça-feira (12), contando sobre sua demissão da emissora. No desabafo, a jornalista revelou ter sofrido assédio moral, por parte de seus superiores, durante boa parte do período em que esteve na Globo. Veja abaixo o vídeo do desabafo da jornalista na íntegra:

Apresentadora foi demitida na semana passada, após sete anos de emissora.

O vídeo compartilhado no Instagram começa com Carina confirmando a sua demissão após sete anos de Globo. Ela foi comunicada sobre o término de seu vínculo com a emissora na última terça-feira (5). Antes de sair, a profissional estava à frente do noticiário esportivo matinal “Bom Dia Minas”.

Carina Pereira era funcionária da Globo há 7 anos.

“Oi, gente! Eu acho que estava devendo uma satisfação para as pessoas, porque, normalmente, eu conto toda minha vida aqui (Instagram). Eu não falei nada desde semana passada, mas, sim, eu fui demitida e não, não estou triste. Não gravei esse vídeo antes porque eu estava muito gripada, mas agora está tudo bem”, iniciou o desabafo.

Após agradecer a todos os fãs e amigos que enviaram mensagens de apoio a ela, Carina afirmou ter sofrido muito no período que trabalhou na emissora. Emocionada, a jornalista relembrou momentos que a marcaram negativamente, sendo situações delicadas de assédio moral.

“Aconteceram algumas coisas que já estavam somando. Enfrentei uma redação de esporte e não sabia que seria tão desafiador assim. Enfrentei muito preconceito por ser mulher e por não ser desse meio”, começou.

“No começo eram piadinhas dos colegas, algum tratamento diferenciado porque eu não era dali, mas depois foi o meu chefe. Ele dizia: ‘Ah, a Carina consegue essa exclusiva porque é mulher, tem o que você não tem, oferece o que você não oferece…’. Quando era colega, eu retrucava, mas quando era o chefe, não, porque era alguém que eu admirava. E as coisas foram piorando”, acrescentou.

Na sequência do vídeo, Carina continuou relatando diferenças no tratamento. A jornalista disse que chegou a fazer uma denúncia no RH da emissora, mas que de nada adiantou.

“O que ele fazia comigo, ele fazia com outros colegas. A gente resolveu denunciar. Primeiro, a gente foi no RH. Não resolveu muito. Depois a gente fez uma denúncia na ouvidoria da empresa. Fui mudada de horário, de função. Para mim, as coisas pioraram. Eu era a única mulher dessa galera que denunciou e sinto que fui a única prejudicada”, declarou.

“Aquilo me entristecia. Aquilo ficava na minha cabeça. Por que para mim as coisas eram mais difíceis?”, questionou Carina sem ter uma resposta.

 

Sobre admin

Você pode Gostar de:

Decreto provisório de Orçamento assegura aquisição de vacinas

  O presidente Jair Bolsonaro assinou decreto que promove a execução provisória do Orçamento do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − 7 =