quinta-feira ,15 novembro 2018
Página Inicial / GERAESTV / Morre o Presidente da Rede Minas, Flavio Henrique, por febre amarela

Morre o Presidente da Rede Minas, Flavio Henrique, por febre amarela

O músico e compositor Flávio Henrique Alves de Oliveira, de 49 anos, morreu na manhã desta quinta-feira (18) em decorrência de complicações de febre amarela. Flávio era o presidente da Rede Minas e da Rádio Inconfidência. A informação foi confirmada pelo Hospital Mater Dei, por meio de uma nota, onde ele estava internado com febre amarela desde o dia 11 de janeiro.

O músico Flávio Henrique estava internado desde o dia 11 de janeiro com suspeita de febre amarela

 

“Comunicamos que o paciente Flávio Henrique Alves de Oliveira, internado na Rede Mater Dei de Saúde no dia 11 de janeiro de 2018, faleceu hoje dia 18 de janeiro de 2018, às 7h30, em decorrência de complicações de Febre Amarela”, dizia o texto divulgado pela unidade de saúde.

Vários amigos do músico já vinham alertando para a possibilidade dele estar com a doença, por meio de postagens no Facebook, no entanto a confirmação só saiu na quarta-feira (17), um dia antes de sua morte.

De acordo com a nota divulgada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), Flávio contraiu a doença em outro município da região metropolitana. Ainda, segundo a secretaria, o paciente não tinha se vacinado contra a febre amarela.

 

O MÚSICO

Com oito CDs autorais e um DVD, ele tinha 180 músicas gravadas e foi parceiro de grandes nomes da música brasileira. Flávio Henrique era compositor, produtor e instrumentista e tinha mais de 120 músicas gravadas. Integrante do quarteto Cobra Coral, ele já participou de parcerias com Fernando Brant, Zeca Baleiro, Ronaldo Bastos, Milton Nascimento, Chico Amaral, Vander Lee e Toninho Horta.

O músico também foi um dos pioneiros do Carnaval em Belo Horizonte, já que em 2012 ele escreveu a música “Na Coxinha da Madrasta”, primeiro hit da safra de marchinhas e que foi composta para mostrar o gasto de Léo Burguês com a verba indenizatória na lanchonete da madrasta.

Flávio Henrique assumiu a Inconfidência em novembro de 2015 após a exoneração de Tancredo Antônio Naves.

O músico foi um dos homenageados na última edição da entrega da Medalha da Inconfidência, em Ouro Preto, no dia 21 de abril de 2017.

Ele recebeu a homenagem ao lado de pessoas como o técnico Mano Menezes, a cantora Fernanda Takai e o músico Samuel Rosa, do Skank.

 

Número de mortes por febre amarela chega a 15 em Minas Gerais

O governo de Minas Gerais confirmou, na quarta-feira (15), mais quatro mortes por febre amarela, chegando a 15 o total de óbitos no estado desde dezembro do ano passado. As últimas confirmações se referem a pacientes de Belo Horizonte, Caeté, Nova Lima e Rio Acima.

Segundo os dados da Secretaria de Estado de Saúde, a maior parte das mortes, nove, são de pacientes da Região Metropolitana. A cidade com maior quantidade de óbitos no estado é Nova Lima – cinco.

Conforme a SES, as mortes registradas no estado se referem a pacientes de dez cidades:

  • cinco em Nova Lima, na Região Metropolitana;
  • duas em Mariana, na Região Central;
  • duas em Belo Horizonte;
  • uma em Caeté, na Região Metropolitana;
  • uma em Rio Acima, na Região Metropolitana;
  • uma em Brumadinho, na Região Metropolitana;
  • uma em Carmo da Mata, no Centro-Oeste;
  • uma em Barra Longa, na Região Central;
  • uma em Goianá, na Zona da Mata;
  • uma em Mar de Espanha, na Zona da Mata.

Além dos 15 mortos, outros sete pacientes que estão internados ou se curaram tiveram diagnóstico positivo para febre amarela no estado.

Segundo a SES, desse total de 22 casos confirmados, 21 se referem a homens, e apenas um trata-se de uma mulher. A média de idade dos pacientes é de 45 anos.

Até o momento, não há relato de vacinação para a febre amarela entre os casos confirmados. Conforme a secretaria, a letalidade por febre amarela em Minas Gerais é de aproximadamente 68,2%.

Ainda de acordo com a SES, outros 46 casos seguem sob investigação no estado.

O que é a febre amarela?

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos infestados. Em área rural ou de floresta, os macacos são os principais hospedeiros e a transmissão ocorre pela picada dos mosquitos transmissores infectados Haemagogus e Sabethes. Nas cidades, a doença pode ser transmitida principalmente por mosquitos da espécie Aedes aegypti. Não há transmissão direta de pessoa a pessoa.

Os sintomas iniciais da febre amarela incluem o início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza.

Sobre admin

Você pode Gostar de:

Paralisação das obras de construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Sete Lagoas gera preocupação à população e ao membros do subcomitê Jequitibá

A paralisação das obras de construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do município …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *