segunda-feira ,11 dezembro 2017
Página Inicial / Carros / Novo KWID da Renault é a nova sensação dos compactos

Novo KWID da Renault é a nova sensação dos compactos

Chamá-lo de SUV é um pouco de exagero, mas a Renault afirma que ele foi homologado como tal. Mas que o Kwid, o novo compacto da Renault, vai dar trabalho à concorrência é certo. Ele chega se destacando pela maior altura do solo da categoria (180 mm) e “ângulos de entrada [24º] e de saída [40º]”, que a Renault considera “dignos do segmento SUV”. Ele herda do DNA do Twingo (de saudosa lembrança) um ótimo espaço interno e um respeitável porta-mala (290 l). São os maiores da categoria, ressalta o fabricante.


Como convém a um compacto, o Kwid promete ser econômico. Os números que o fabricante anuncia em trajeto misto (urbano-rodoviário) são de 15,2 km/l com gasolina e 10,5 km/l etanol.

Segurança é talvez a principal qualidade do novo veículo. É onde se destaca dos concorrentes. É o primeiro do seu segmento a trazer de série, quatro airbags (dois frontais e dois laterais), “além de diversos outros itens de segurança e reforços estruturais”.

Design

O design segue a nova identidade visual da marca e foi desenvolvido em parceria entre os estúdios do Renault Design Network (Brasil, França e Índia).
O perfil transmite a impressão de robustez e a sensação de o Kwid ser maior que os seus 3.680 m de comprimento. As rodas de 14″ de série, os para-lamas encorpados contribuem para essa imagem.

Espaço

No interior do Kwid deverá agradar, principalmente às mulheres, a posição de dirigir elevada. Uma boa surpresa é o amplo espaço interno em se tratando de um compacto. A distância entre-eixos de 2.423 mm permite o maior espaço para os joelhos do segmento para quem senta no banco traseiro, garante o fabricante. O compartimento de bagagem, que acomoda 290 l e é o maior da categoria, acrescenta. Com banco rebatível chega até 1,1 mil l.

O banco traseiro é equipado com três apoios de cabeça e três cintos transversais de três pontos. A visibilidade traseira, com os apoios para cabeça é prejudicada.

Como conectividade é hoje aspecto essencial, a Renault oferece como item de série para a versão Intense no chamado Pack Connect, o Media Nav 2.0, a central multimídia com tela touchscreen de 7″ integrada ao painel que oferece GPS, ligações, bluetooth e câmera de ré.

Economia

O Kwid traz o motor 1.0 SCe (Smart Control Efficiency) com três cilindros, 12 válvulas, duplo comando de válvulas (DOHC) e bloco em alumínio. O modelo também estreia a transmissão manual de cinco marchas SG1, que é mais leve e eficiente, segundo a montadora. Outra solução interessante é a corrente de distribuição no lugar da correia, que é mais resistente em relação à tradicional e reduz o custo de manutenção que, segundo a Renault é de menos de um R$ 1,00 por dia.

Economia em consumo de combustível está diretamente relacionada à relação peso/potência. Com 758 kg o Kwid é o mais leve entre os principais concorrentes e, segundo a Renault, oferece a melhor relação peso/potência, o que repercute em agilidade e rápidas respostas na aceleração. Com etanol no tanque, rende 70 cv de potência a 5.500 rpm e torque de 9,8 kgfm a 4.250 rpm. Com gasolina, são 66 cv a 5.500 rpm e 9,4 kgfm a 4.250 rpm.

O fabricante enfatiza que o Kwid, no uso misto, é o carro com o menor consumo de combustível do segmento. Na cidade, faz 14,9 km/l com gasolina e 10,3 km/l com etanol. Na estrada, 15,6 km/l com gasolina e 10,8 km/l com etanol. E no uso misto, os números são 15,2 km/l com gasolina e 10,5 km/l com etanol.

Para auxiliar o motorista a dirigir com economia, além do indicador de troca de marchas (GSI) no quadro de instrumentos, de série em todas em as versões, o Kwid traz um indicador de estilo de condução, também no quadro de instrumentos abaixo do velocímetro, que por meio uma barra com três cores (verde, amarelo e laranja) mostra o nível de eficiência do motorista ao volante.

Na versão Intense com o Pack Connect, existe ainda o programa Eco coaching na central multimídia Media NAV que avalia a condução por meio de pontuação e indica sugestões para uma forma de condução mais econômica.

A direção é elétrica, que além de facilitar as manobras, ajuda a reduzir o consumo e as emissões, já que exige menos o motor do que os sistemas hidráulicos. É item de série nas versões Zen e Intense. O diâmetro de giro é de 10 m. Na versão de entrada, a Life, a direção é mecânica (será opcional a partir de novembro, informa a Renault).

Segurança

Em todas as versões, o modelo traz de série dois airbags frontais e dois laterais além de duas fixações Isofix para cadeirinhas infantis, item fundamental para a segurança das crianças. Também é de série os alertas visual e sonoro, além do pré-tensionador dos cintos de segurança dianteiros. No primeiro contato de nossa reportagem com o Twid, sentimos falta do farol diurno (DRL), também ausente nos concorrentes diretos VW Up! e Fiat Mobi.

O Kwid oferece os mesmos três anos de toda a linha Renault. O modelo tem um plano de manutenção com menos de R$ 1 por dia durante três anos para a versão Life.

O Kwid chega em três versões de acabamento: Life, Zen e Intense, com preços sugeridos de R$29.990, R$35.390 e R$39.990. O Kwid deve disputar a preferência dos consumidores de carros compactos, principalmente do Fiat Mobi e Volkswagen Up!, nas versões equipadas com motor 1.0 aspirado.

 

Fonte: Fabricantes

Sobre admin

Você pode Gostar de:

“NÃO VAMOS PAGAR PEDÁGIO” – Moradores de Pedro Leopoldo e região se revoltam em audiência pública sobre concessão da MG-424

  Moradores de Pedro Leopoldo protestaram durante a audiência pública, contra o pagamento de pedágio …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *