Página Inicial / GERAESTV / Oito siglas poderão se unir e fortalecer a disputa de Lacerda ao Governo de Minas

Oito siglas poderão se unir e fortalecer a disputa de Lacerda ao Governo de Minas

O ex-prefeito de Belo Horizonte e pré-candidato ao Governo de Minas, Marcio Lacerda (PSB) caminha de forma significativa para ampliar o apoio à candidatura ao governo do Estado nas eleições deste ano. Nos últimos dias, as conversas com MDB se intensificaram, e há possibilidade de a aliança com outros 6 partidos ser confirmada.

O acordo envolvendo oito partidos estão com negociações avançadas entre o PSB com o MDB e mais outras seis legendas. A aliança entre estes partidos permitiria a Marcio Lacerda ter maior força partidária na disputa ao Governo de Minas assim ocupando de vez o posto de terceira via na campanha eleitoral.

Os apoios do PDT e do PRÓS estão confirmados, com possibilidade em somar à coligação, o PRB, o PO DEMOS,  o PV e o PHS.  As definições deste bloco somente devem ocorrer próximo ao dia 5 de agosto, último dia para realização de convenções partidárias. A cautela em anunciar essa aliança se dá principalmente por conta de tratativas no âmbito nacional.

Nesse cenário, o ex-prefeito de BH abriria mão de ser o candidato a vice de Ciro Gomes (PDT) para ser um dos principais palanques estaduais do ex-governador do Ceará, pré-candidato à presidente. De acordo com interlocutores, Ciro Gomes já teria dado aval para essa composição, assim como o PSB nacional. Segundo interlocutores, Lacerda já comunicou à cúpula do partido e que ele teria o apoio de 90% dos diretórios estaduais da agremiação.

A única resistência na sigla seria o deputado federal Júlio Delgado. Porém, ele afirma que não há essa unanimidade no PSB de Minas.

O presidente estadual do PSB, João Marcos Lobo, confirmou que as negociações com o MDB estão caminhando, mas disse que o martelo ainda não foi batido. “Temos que conversar e acertar uma série de pontos para definição nesse sentido. Não há um compromisso firmado ainda.  Mas estamos conversando ao longo dos dias”, disse Lobo.

O deputado estadual Tadeu Leite, membro da comissão provisória que preside o MDB de Minas, disse que ocorrem articulações com diferentes forças políticas e que a definição vai ser tomada durante convenção partidária, em 5 de agosto.

Nas negociações, existe a possibilidade de o MDB indicar o vice na chapa. Os mais cotados seriam Adalclever Lopes e os deputados federais Fábio Ramalho, Leonardo Quintão e Saraiva Felipe, que preside o partido em Minas Gerais. Outras duas siglas que já declararam apoio ao ex-prefeito também querem essa vaga. No PDT, o mais cotado é o deputado estadual Fábio Cherem. Já no PROS, o nome de Jaime Martins é o ventilado. Em um cenário sem o MDB, ele seria o favorito.

Uma preocupação dos deputados emedebistas é com a viabilidade das alianças para manter o tamanho da bancada atual. Em 2014, o partido conseguiu eleger 13 deputados estaduais e cinco federais. Por isso, é dito nos bastidores que a aliança entre PSB, MDB, PROS, PDT, PRB, PODEMOS, PV e PHS deve ser fechada somente na chapa majoritária. A hipótese de um “chapão” na disputa proporcional é pequena.

Sobre admin

Você pode Gostar de:

ESTELIONATÁRIOS PRESOS – Casal de Divinópolis são presos em SC acusados de dar prejuízo de 60 milhões de reais

A Polícia Civil de Santa Catarina em conjunto com policiais divinopolitanos, realizou na tarde de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *