Página Inicial / Cidade / PELA SEGUNDA VEZ NO ANO, SAAE SUSPENDE CAPTAÇÃO NO RIO DAS VELHAS POR POLUIÇÃO DAS ÁGUAS

PELA SEGUNDA VEZ NO ANO, SAAE SUSPENDE CAPTAÇÃO NO RIO DAS VELHAS POR POLUIÇÃO DAS ÁGUAS

Na última terça-feira (22), as condições da água do Rio das Velhas – no ponto de captação que abastece a cidade de Sete Lagoas, na região de Funilândia – estavam a tal ponto poluídas que o SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) local foi obrigado a suspender a retirada, o que deixou 17 bairros do município sujeitos à paralisação temporária no fornecimento de água. De acordo com a autarquia municipal, esta foi a quarta vez em quase dois anos que as águas do Velhas estavam incompatíveis com os níveis de qualidade permitidos, impossibilitando o tratamento adequado.

Estruturas da ETA – Sistema Rio das Velhas, do SAAE de Sete Lagoas. 

Diante da suspensão, o SAAE informou que realizou manobras no sistema de distribuição a fim de garantir o abastecimento à população. O supervisor de operação da ETA (Estação de Tratamento de Água), Alexandre Picorelli, destacou o desafio que é para a cidade captar água do Velhas logo depois de passada a Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). “O Sistema Rio das Velhas é hoje responsável por abastecer 1/3 de Sete Lagoas, o que representa aproximadamente 70 mil pessoas, uma população significativa. E nós captamos água à jusante das cidades de Belo Horizonte, Sabará e Santa Luzia, do encontro do Rio das Velhas com o Arrudas e outros, com um grau de contaminação muito grande”, disse.

Ainda segundo Picorelli, em todas as ocasiões em que a captação foi impossibilitada, o Ministério Público (MP), o IGAM (Instituto Mineiro de Gestão das Águas) e a SEMAD (Secretária Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável) foram notificados pelo SAAE para tentarem identificar a raiz do problema. “A gente também pede às secretarias de meio ambiente [dos municípios da RMBH] que intensifiquem as fiscalizações, para sabermos se há qualquer tipo de descarte irregular de poluentes no rio”.

“Estamos cada vez mais dependentes do Rio das Velhas, daí a importância e urgência de preservá-lo. Do contrário, não somente nós, como o restante da bacia, poderemos viver um quadro de escassez muito em breve”.

Por fim, Picorelli reconheceu que Sete Lagoas também descarta quase 100% do seu esgoto diretamente no Rio das Velhas, mas que essa situação terá fim muito em breve, com a ETE (Estação de Tratamento de Esgotos) hoje em construção. “Vamos pagar essa conta com o rio em um ano e meio, quando a ETE começar a operar”, concluiu

Sobre admin

Você pode Gostar de:

INDIGNAÇÃO POPULAR – 46 deputados mineiros votaram à favor do auxílio-saúde de 2.500 reais para membros do MP

Mesmo com a pressão popular, 46 deputados aprovaram, em segundo turno, o projeto que garante …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *