Ultimas Noticias
Página Inicial / Cidade / Sete Lagoas receberá uma ZPE-Zona de Processamento de Exportação que ligará ao Porto no ES

Sete Lagoas receberá uma ZPE-Zona de Processamento de Exportação que ligará ao Porto no ES

A Associação Comercial e Industrial de Sete Lagoas apresentou na quinta-feira (06), apresentou ao Poder Público Municipal o Projeto CPSM-Centro Portuário São Mateus que contempla uma nova ferrovia partindo de Sete Lagoas(MG) até a cidade de São Mateus(ES).

O Centro Portuário de São Mateus é a única a abrigar um porto marítimo dentro da área da Sudene, beneficiada por redução de até 32% de tributos por estar incluída no polígono da seca. O CEO da Petrocity Portos, o José Roberto, apresentou a planta do referido empreendimento, que contará com moderno Centro Administrativo e com onshore de 8 pátios de estocagem, preparados para óleo e gás, cargas em geral, veículos, celulose e pedras ornamentais.

São parceiros desse empreendimento a NEXT, Geo5 Logística e YKS. A previsão é de que Sete Lagoas receba uma ZPE-Zona de Processamento de Exportação e se torne um grande polo integrador da intermodalidade do transporte nacional. Nossa cidade se transformará numa PLS-Plataforma Logística do Sudeste, trazendo para a região a interiorização da economia, com grande fortalecimento econômico dos municípios abrangidos por essa Plataforma. “Esse é um Projeto fantástico, do novo Brasil que esperamos. Ao que se sabe esse empreendimento já coincide com os planos dos novos governos, estadual e federal, concluiu o Vice-Presidente da ACI, o Flávio Fonseca.

O Novo Porto

Com investimento de R$ 2,1 bilhões, o novo porto Multimodal deverá movimentar diversos tipos de Cargas e já é considerado uma ferramenta de integração regional que ligará o norte e o noroeste do estado do Espírito Santo, além do sul da Bahia e leste e norte de Minas Gerais. O projeto do complexo portuário contará com aporte de recursos privados.

Com previsão de início da obra no primeiro trimestre de 2019 e conclusão no segundo semestre de 2021, a expectativa é que o C.P.S.M. gere 2,5 mil postos de trabalho no pico da obra. Durante a operação, o terminal portuário deverá empregar cerca de 2 mil pessoas.

Em uma área de 1,5 milhão de metros quadrados, o novo porto deverá contar com quatro tipos de operação. Um terminal para coordenar as atividades de petróleo e gás; um dedicado ao setor de rochas ornamentais; um terceiro para gerir a movimentação de contêiners; e o quarto com foco em movimentação de carcaças de madeira e de celulose.

O porto será instalado em área de atuação da Sudene, apesar de estar geograficamente localizado na região Sudeste, o que vai garantir alguns benefícios fiscais ao empreendimento. O estudo de viabilidade técnica e econômica indica uma demanda reprimida de cargas na região, como rochas ornamentais, celulose e madeiras do Sul da Bahia, café, granéis líquido, reparo naval, automóveis, agricultura e, principalmente, cargas conteinerizadas do Sul do Bahia, Norte e Noroeste do Espírito Santo e Minas Gerais. “Contar com a expertise internacional da Odebrecht Engenharia e Construção será fundamental para garantir a execução deste complexo, que irá impulsionar a economia de cidades do interior destes três estados, além de garantir a integração econômica entre eles”, afirma José Roberto da Silva, diretor da Petrocity Portos S.A.

O empreendimento também contará com benefícios fiscais garantidos a empresas sob área de supervisão da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

Sobre admin

Você pode Gostar de:

Novo óbito por Covid-19 em Sete Lagoas é investigado e notificações sobem para 1670 casos em 24 horas

Mais dois casos de Covid-19 foram confirmados em Sete Lagoas e um óbito está em …

Deixe uma resposta para Anônimo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × cinco =